Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2010 JoomlaWorks, a business unit of Nuevvo Webware Ltd.

Criar PDF Recomendar Imprimir

 

nerainforma n.º 122, julho 2020

Nº Boletim 122 Data Julho 2020
Ficheiro(s):

ALGARVE

EMPRESAS DE TURISMO E AS OUTRAS

Todos os setores, todas as empresas são importantes

Presidente Site

O quadro económico europeu e do nosso país, apresenta-se cada vez mais difícil e incerto. No Algarve pela especificidade da sua estrutura económica ainda mais.
Todos sabemos que o Turismo é o setor com mais peso e motor da economia da Região.
Mas é importante saber do que se está a falar, quando se fala de «Turismo».
E se é certo que envolve diretamente as empresas de Alojamento e Restauração, o quadro da estrutura económica e empresarial do Algarve é bem mais vasto e complexo e envolve muitos setores que quase sempre são esquecidos e sem os quais a própria atividade do Turismo não funciona. Vejamos alguns dados sobre as empresas.

 

No Algarve existem 70.520 Empresas (INE – 2018) das quais:
- 19.250 Sociedades (27,3%) e
- 51.270 Empresas Nome Individual (72,7%).

Estas Empresas Empregam 224.000 pessoas.

Dimensão das Empresas no Algarve

Microempresas (0-9 trabalhadores) - 68.315 Empresas (97%)
Pequenas Empresas (10-49 trabalhadores) - 1.950 Empresas (2,7%)
Médias Empresas (50 – 249 trabalhadores) - 235 Empresas (0,3%)
Grandes Empresas (> 250 trabalhadores) - 19 Empresas (0,02%)

 

Setores de atividades

Estes dados refletem o quadro da estrutura setorial da economia do Algarve.

Uma primeira conclusão: as sociedades ligadas mais diretamente ao Turismo – Alojamento (e Restauração) – representam 20% das sociedades.

As restantes 80% das sociedades existentes estão ligadas a outros setores e, sendo certo que o Alojamento (e Restauração) são indispensáveis para o funcionamento do Turismo, é também certo que os outros setores e empresas são importantes.

Fornecem Bens e Serviços às empresas de Alojamento e Restauração. Completam a oferta turística ao satisfazer o consumo de milhões de visitantes numa estadia de vários dias. Sem esses setores o Turismo não funcionaria.

Uma primeira conclusão que se pode tirar no atual quadro é que as consequências negativas geradas pela crise atingem não só o Alojamento e a Restauração, mas praticamente TODOS os setores de atividade económica e empresarial da Região.

A segunda conclusão é que as medidas de apoio à economia, às empresas e ao emprego da Região, devem abranger não só os setores considerados mais diretamente ligados ao Turismo, mas TODOS os setores económicos e Empresas que para ele concorrem

O NERA desenvolve a sua atuação na base destes conceitos e valores.

PREPAREMO-NOS PARA A LUTA: VAMOS TER DE ENFRENTAR TEMPOS DIFÍCEIS!

 

 Vítor Neto

Presidente da Direção do NERA 

 


 

CONHEÇA A PLATAFORMA DAS ÁREAS EMPRESARIAIS DO ALGARVE

7

A plataforma das Áreas Empresariais do Algarve (Zonas Industriais, Parques Empresariais) é uma das componentes do Projeto Algarve REVIT+, que visa a revitalização das Áreas Empresariais do Algarve, através do reforço da capacitação e promoção das PME instaladas nessas áreas, num modelo de gestão e de marketing inovadores, numa lógica coletiva.

Além de um diretório de empresas instaladas nas áreas empresariais de todo o Algarve, é também um sítio de interação e partilha de oportunidades de negócio e de boas práticas empresariais, de valorização e de promoção conjunta das PME.

A adesão à plataforma é gratuita e pode ser feita através do seguinte link:http://www.aealgarve.pt/empresas

Contactos:

www.aealgarve.pt 

Email: nera@nera.pt

Tel: 289 415 151

Telm. 968 576 864


 

  

APRESENTAÇÃO DA NOVA VERSÃO DA PLATAFORMA ALGARVEACOLHE

www.algarveacolhe.com

 

Imagem-Algarve-Acolhe  

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDR Algarve) apresentou no passado dia 9 de julho a nova versão da plataforma AlgarveAcolhe, num webinar que contou com a participação do Dr. Carlos Miguel, Secretário de Estado Adjunto e do Desenvolvimento Regional. 

Este encontro contou ainda com as intervenções do Prof. Francisco Serra (Presidente da CCDR Algarve), do Dr. Vítor Neto (Presidente do NERA – Associação Empresarial da Região do Algarve), do Dr. Joaquim Brandão Pires (Primeiro Secretário da AMAL – Comunidade Intermunicipal do Algarve), do Dr. Paulo Bota (CCDR Algarve) e do Dr. Ricardo Sena (WKT) que deram conta das novidades da plataforma online AlgarveAcolhe, a qual tem vindo, desde 2008, a apoiar os investidores na seleção do melhor espaço para desenvolverem as suas atividades empresariais. 

Com esta versão, um empreendedor que pretenda instalar uma nova atividade empresarial no Algarve ou queira relocalizar a sua empresa, poderá consultar a plataforma e encontrar informação georreferenciada das áreas de acolhimento empresarial e respetivos lotes, identificando valências, disponibilidades, acessibilidades e contactos, agora totalmente integrada com a Infraestrutura de Dados Espaciais do Algarve (IDEAlg), que tem a ambição de constituir um projeto de referência regional no âmbito dos sistemas de informação geográfica.

Construída no âmbito do Projeto Algarve REVIT +, uma parceria da CCDR Algarve com a AMAL e com o NERA, a plataforma AlgarveAcolhe congrega a oferta regional de parques empresariais de iniciativa pública, privada, ou mista, que, embora partilhando visões e experiências distintas, aspiram de forma integrada a promover e divulgar as suas infraestruturas num âmbito nacional e internacional. Cofinanciada pelos fundos da União Europeia, através do CRESC ALGARVE 2020 | Portugal 2020, assume os novos desafios à gestão e ordenamento das áreas de acolhimento empresarial, à sua administração, à competitividade das empresas instaladas e na forma como estas se relacionam.

No mesmo evento, o Dr. António Ramos apresentou a Plataforma T-Invest, desenvolvida pelo Ministério da Coesão Territorial, um instrumento que agregará, sistematizará e divulgará a soma dos benefícios disponibilizados pelas autarquias a empreendedores e famílias, permitindo aos cidadãos terem acesso num único lugar ao conjunto de incentivos e apoios disponibilizados pelos municípios para a melhoria da competitividade dos seus territórios.


 

CERTIFICAÇÃO PME

 A Certificação PME é um serviço que, por via exclusivamente eletrónica, atesta o cumprimento dos critérios de micro, pequena e média empresa por parte das empresas nacionais.

Destina-se a micro, pequenas e médias empresas que pretendam fazer prova de que possuem esse estatuto e a entidades da Administração Pública, ou com ela protocoladas, que estejam obrigadas a exigir a comprovação do estatuto de PME para efeito de procedimentos administrativos (atribuição de apoios ou outras formas de discriminação positiva de micro, pequenas ou médias empresas).

A certificação é integralmente efetuada online, no website do IAPMEI, através da área Serviços online, dispensando a entrega de qualquer documentação.

O serviço assegura a possibilidade de certificação permanente a qualquer empresa certificada, com recálculo obrigatório do estatuto sempre que eventos estruturantes da sua vida (alteração da estrutura societária, aquisições ou alineações de participações sociais, prestação de contas relativas a um novo exercício fiscal, etc.) o justifiquem. Desta forma, é assegurado que cada empresa se encontra a beneficiar, em cada momento, do estatuto que efetivamente corresponde à sua estrutura de relacionamentos atual, e tendo em conta os dados de efetivos e financeiros mais adequados. 


 

ANÚNCIO OPERAÇÃO 10.2.1.1 PEQUENOS INVESTIMENTOS NA EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA - SÓ ATÉ 31 DE JULHO

A Associação IN LOCO, na qualidade de entidade gestora do Grupo de Ação Local para o Interior do Algarve Central, informa que se encontram abertos concursos para apresentação de candidaturas no âmbito da medida 10 “LEADER”, do PDR2020, ao seguinte anúncio:

  • 10.2.1.1 – PEQUENOS INVESTIMENTOS NA EXPLORAÇÃO AGRICOLA (de 1 de junho a 31 de julho)

Esta tem sido a medida com maior procura neste território, pelo que foi decidido canalizar o que podem ser as últimas verbas disponíveis, para abrir de novo este concurso.

As candidaturas devem ter os seguintes objetivos:

  • Promover a melhoria das condições de vida, de trabalho e de produção dos agricultores;
  • Contribuir para o processo de modernização e de capacitação das empresas do setor agrícola.

 O investimento nas explorações deve ser superior ou igual a 1000€ e inferior ou igual a 40000€. Os apoios variam entre 40% a 50% do investimento elegível, sob a forma de subvenção não reembolsável.

Os investimentos devem estar localizados no território do Interior Algarve Central, que abrange as seguintes freguesias: Guia e Paderne, no Concelho de Albufeira; Santa Bárbara de Nexe, Conceição e Estoi, no Concelho de Faro; Alte, Ameixial, Boliqueime, Salir, São Sebastião e Querença, Tôr e Benafim, no Concelho de Loulé; Pechão e Moncarapacho e Fuseta, no Concelho de Olhão; São Brás de Alportel; São Bartolomeu de Messines e São Marcos da Serra, no Concelho de Silves; Cachopo, Santa Catarina da Fonte do Bispo e Luz de Tavira e Santo Estêvão, no Concelho de Tavira.

Esta informação não dispensa a consulta da legislação em vigor.

Os Anúncios e demais informação relevante, nomeadamente legislação, formulários, orientações técnicas que incluem as listas de documentos a apresentar, estão disponíveis no portal do PORTUGAL 2020, em www.pt-2020.pt, no PDR 2020 em www.pdr-2020.pt, ou no sítio do GAL “Interior do Algarve Central” em www.in-loco.pt.

Esclarecimentos junto do Contact Center do PDR2020, a contactar através do n.º 800 500 064, ou na Associação IN LOCO através do telefone 289 840 860 ou correio eletrónico dlbc@in-loco.pt . 

 


  

FUNDO DE INOVAÇÃO
CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS DE DEMOSTRAÇÃO HIPOCARBÓNICAS

A Comissão Europeia lançou o primeiro convite, que estará aberto até 29 de outubro, para a apresentação de propostas de demostração hipocarbónica.

Esta call decorre no âmbito do Fundo de Inovação, um dos maiores programas mundiais para a demostração de tecnologias hipocarbónicas inovadoras, financiado por receitas provenientes do leilão de licenças de emissão do Regime de Comércio de Licenças de Emissão da União Europeia.

O convite proporcionará um financiamento de mil milhões de euros a projetos de grande envergadura para tecnologias limpas, abrangendo as tecnologias de ponta para energias renováveis, indústrias com utilização intensiva de energia, armazenamento de energia e captura, utilização e armazenamento de carbono.

Para obter mais informação consulte o site do IAPMEI em https://www.iapmei.pt 


 

PROGRAMA UPSKILL ABRE CANDIDATURAS

O Programa UPSkill - Digital Skills & Jobs, iniciou no passado dia 22 de junho, o processo de candidaturas. Este programa destina-se, prioritariamente a pessoas em situação de desemprego, com o ensino secundário ou o ensino superior, e que pretendam obter qualificações na área das tecnologias digitais.

De âmbito nacional, o UPSkill resulta de uma parceria entre o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP, IP), o Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP) e a Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações (APDC) e insere-se no âmbito do Plano de Ação para a Transição Digital.

Esta iniciativa visa dar resposta às necessidades das empresas de recursos qualificados em tecnologias digitais e, simultaneamente, proporcionar a aquisição de competências técnicas, por pessoas desempregadas ou subempregadas, que lhes permitam iniciar uma nova carreira. Desta forma é possível contribuir para o aumento da competitividade do País, que passa a ter pessoas com mais qualificações e conhecimento e empresas mais preparadas para o mercado.

 

O Programa visa proporcionar-lhes uma formação intensiva (6 meses) em áreas específicas enquadradas nas tecnologias de informação e comunicações, seguidos de 3 meses de formação em contexto de trabalho, numa das empresas aderentes.

Para obter mais mais informações consulte o site do IEFP, em https://www.iefp.pt

 


 
RESGATE ANTECIPADO DE PPR SEM PENALIZAÇÕES

 De acordo com a versão final do Orçamento Suplementar já aprovada pelo Parlamento, mantém-se até ao final de 2020 a possibilidade de fazer resgates nos planos de poupança reforma (PPR), sem penalização. 

Esta medida pretende atenuar a quebra de rendimentos sentida face à crise pandémica. De acordo com o Orçamento Suplementar, o resgate sem penalizações ficará, além disso, disponível também aos inquilinos que tenham dificuldades em pagar a renda e que tenham sido obrigados a recorrer à moratória e ao pedido de empréstimo junto do Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU). 

 


  

INTERIOR DO ALGARVE CENTRAL APOIA A CRIAÇÃO DE EMPREGO 

De 20 de julho até 15 de setembro (1.ª fase) estão abertas as candidaturas para o programa + CO3SO Emprego no território do Grupo de Ação Local Interior do Algarve Central. Trata-se de um sistema de incentivos que visa apoiar a criação de emprego e o empreendedorismo, incluindo empreendedorismo social.

Os apoios a conceder permitem a comparticipação dos custos diretos com os postos de trabalho criados, de acordo com os limites fixados na regulamentação, englobando a remuneração base e as despesas contributivas da responsabilidade da entidade empregadora, durante um período máximo de 36 meses, contados a partir da criação do primeiro posto de trabalho.

Sobre estes encargos acresce uma taxa fixa de 40% para financiar outros custos associados à criação de postos de trabalho. Apenas são elegíveis contratos sem termo.

Podem candidatar-se micro e pequenas empresas e entidades da economia social que desenvolvam atividades com enquadramento nas áreas de atividade especificadas no concurso para a apresentação de candidaturas.

Os Anúncios e demais informação relevante, nomeadamente legislação, formulários, orientações técnicas que incluem as listas de documentos a apresentar, estão disponíveis no portal do Portugal 2020.


Complementarmente, poderão ser prestados esclarecimentos junto do Contact Center do Portugal 2020, ou na Associação IN LOCO através do telefone 289 840 860 ou correio eletrónico dlbc@in-loco.pt 


 

PROGRAMA SIMPLEX 20-21 

O Programa Simplex 20-21, contempla 150 medidas de simplificação em várias áreas. No que diz respeito à Segurança Social, destacam-se as seguintes medidas a vigorar a partir do quarto trimestre de 2021:

Alargamento da declaração na hora da Segurança Social, uma vez que tanto o cidadão como as empresas poderão pedir estes documentos, evitando deslocações ao atendimento presencial no caso do abono de família para crianças e jovens, rendimento social de inserção, subsídio de desemprego e subsídio social de desemprego.

Disponibilização online, na Segurança Social Direta, do serviço que permita ao cidadão não só pedir o estatuto de Cuidador Informal bem como acompanhar o processo até ao pagamento da Prestação do cuidador Informal, com possibilidade de notificação eletrónica. Esta medida entrará em vigor no quarto trimestre de 2021.

Desmaterializar o processo de contraordenações, por forma a simplificar e reforçar a transparência. Prevê-se a disponibilização, na Segurança Social Direta, de funcionalidade que permita a notificação eletrónica, consulta da notificação e do detalhe do cálculo da contraordenação, bem como, da evolução do processo de contraordenação.

Depois de implementado o módulo Menos Espera na pensão, vai ser implementada a medida Pensão na Hora que permite aos cidadãos requerer a sua pensão online (na Segurança Social Direta) com comunicação imediata do valor provisório que lhe será atribuído e com diferimento na hora. Isto é, sempre que o cidadão cumpra as condições de acesso para poder usufruir de uma pensão em Portugal, designadamente, o prazo de garantia e a idade de reforma, a mesma passa a ser atribuída de forma automática e com aceitação do valor da mesma. Esta medida é válida tanto para cidadãos com carreira contributiva exclusiva em Portugal, como para os cidadãos com carreira contributiva noutros países, desde que cumpram o prazo de garantia em Portugal. Neste caso, o valor da pensão será provisório e refletirá apenas o valor da pensão a pagar em Portugal. Esta situação passará a definitiva depois do apuramento da carreira contributiva estrangeira.


  

PAGAMENTO POR CONTA DE IRC 

Em termos de medidas fiscais, o Orçamento Suplementar fixa uma isenção total ou parcial do pagamento por conta do IRC em função da quebra de faturação observada pelas empresas durante o primeiro semestre deste ano.

Haverá uma redução de 50% para as empresas com uma quebra de faturação superior a 20%, e uma isenção para as que registem quebras superiores a 40%, o que inclui praticamente todas dos setores da restauração e do alojamento.  


 

Divulgação:

Para que possa lançar, expandir ou rentabilizar a atividade da sua empresa, o NERA , para além de todos osserviços e apoios que tem vindo a prestar aos empresários da Região, ou aos que aqui se pretendem instalar,dispõe de um serviço de aluguer/cessão de uso de salas e espaços variados, situadas no seu Centro Empresarial de Negócios.

As salas/ espaços poderão ser arrendadas por períodos variáveis, desde por horas ou dias a mensal, anual ou plurianualmente.

O uso de qualquer destes espaços traz consigo vantagens adicionais, como:

  • Inserção num espaço comum de múltiplas utilizações e não isolado;
  • Uso imediato de energia e água;
  • Possibilidade de acesso a serviços diversificados, como: fotocópias, fax, mail, gestão de correspondência ou contactos, etc.;
  • Integração no núcleo da NERA, onde encontra disponibilidade do uso ocasional de espaços e serviços, entre os quais salas para reuniões, apresentações de produtos ou formação, salas de congressos,organização de eventos, secretariado, aluguer de mobiliário, etc.

 

Também disponibilizamos serviços de sediação de empresas e gestão de contactos.

 

 

Login Form