Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2010 JoomlaWorks, a business unit of Nuevvo Webware Ltd.

Criar PDF Recomendar Imprimir

 

nerainforma n.º 86, junho 2017

Nº Boletim 86 Data Junho 2017
Ficheiro(s):

 

NERA

PRESENTE E NOVOS DESAFIOS

Presidente Site

O NERA - Associação Empresarial da Região do Algarve - fundada em 1983 por iniciativa de corajosos empresários do Algarve em parceria com a prestigiada AIP – Associação da Indústria Portuguesa, acaba de eleger em Assembleia Geral, os novos Órgãos Sociais. Confirmam-se os anteriores membros e são integradas novas empresas representativas na economia da Região (os novos Órgãos Sociais: site www.nera.pt).

Como Presidente da Direção do NERA tenho plena consciência, juntamente com os meus colegas, das dificuldades na atuação da associação e dos desafios difíceis que vamos ter de enfrentar.

As razões são muitas: as dificuldades financeiras das empresas, um certo ceticismo em relação ao associativismo e a crise nacional que o envolve, a grave situação estrutural da economia portuguesa, as incertezas no quadro político e económico mundial. E também algumas fraquezas políticas da nossa Região.

Pelo que diz respeito ao Algarve, são sem dúvida positivos os sinais nas múltiplas atividades económicas ligadas ao Turismo - que vão do alojamento, à restauração e ao comércio, à construção e à imobiliária, etc. mas também os equipamentos e tecnologias. Como também as atividades noutros setores que dão sinais de dinamismo – setores ligados ao mar e à agricultura e às atividades a eles associadas.

As nossas empresas confrontam-se hoje com dois desafios: por um lado consolidar os resultados alcançados, com a consciência das potencialidades que eles revelam. E por outro perspetivar o futuro, que não está nada garantido e que revela mesmo fatores de incerteza que as empresas não podem ignorar.

É bom ter presente que o Turismo, apesar de estar a viver um momento de alta a nível internacional – de que Portugal, para além do valor próprio, também beneficia – é sempre uma atividade dependente de fatores incontornáveis: quadro económico e capacidade de consumo dos potenciais clientes, transporte aéreo, capacidade competitiva perante a concorrência, estabilidade política e económica nos mercados emissores. Pense-se só em eventuais consequências do Brexit para o Turismo do Algarve, o principal destino britânico em Portugal.

A atenção das empresas não pode, pois, deixar de ter em conta estas preocupações ligadas ao momento presente e ao futuro.

As empresas têm de consolidar e modernizar estruturas, aperfeiçoar as linhas estratégicas de negócios, melhorar o seu quadro financeiro. É absolutamente vital, num mundo em mudança e pleno de incertezas como o que vivemos.

A missão do NERA, como Associação Empresarial, é precisamente a de informar e alertar as empresas para as situações, de as ajudar a perceber melhor o quadro económico que as envolve e de proporcionar às empresas os apoios para melhor resolverem os seus problemas. Vamos continuar a fazê-lo.

Por exemplo, neste momento vamos apresentar, no dia 20 de julho, em colaboração com o Ministério da Economia, o Programa Capitalizar, que tem como objetivo a capitalização das pequenas e médias empresas, através de ajudas de financiamento, de incentivos fiscais, de apoios à reestruturação empresarial e ao reforço do investimento.

É importante que os empresários conheçam estas medidas.
O
NERA existe para auxilia-los nessa tarefa.

Por outro lado, o NERA continua a executar os seus Programas de Formação e de apoio às empresas. O NERA tem já em curso quatro projetos de utilização de fundos comunitários, nomeadamente do Programa Operacional CRESC ALGARVE 2020| Portugal 2020, trata-se do Projeto INOVA ALGARVE 2020 (em parceria com a AMAL – Comunidade Intermunicipal do Algarve), dos Projetos IINTERNACIONALIZAR + ALGARVE e CRIA START + (ambos em parceria com a Universidade do Algarve e o Projeto AGROTUR 2017 (em parceria com a Universidade do Algarve e a Tertúlia Algarvia).

A nível institucional o NERA mantém fortes relações de cooperação com as estruturas oficiais na Região. 

Os novos Órgãos Sociais do NERA estão empenhados em continuar este caminho.

Farão todos os seus esforços para responder às expectativas dos Empresários do Algarve.

Precisamos ainda mais da vossa colaboração.

Vítor Neto

Presidente da Direção do NERA

 


 

APRESENTAÇÃO NO ALGARVE DO PROGRAMA CAPITALIZAR

 Capitalizar GR

LOCAL: ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO, HOTELARIA E TURISMO DA UNIVERSIDADE DO ALGARVE - CAMPUS DA PENHA (Perto do Hospital de Faro)

DIA: 20 DE JULHO DE 2017 - HORÁRIO: 10H00

O Ministério da Economia leva a efeito em Faro, no dia 20 de julho, em colaboração com o NERA, uma iniciativa de divulgação das medidas de apoio às empresas no quadro do PROGRAMA CAPITALIZAR.

Objetivo do Programa: promover estruturas financeiras mais sólidas nas empresas apoiando a sua CAPITALIZAÇÃO e o REFORÇO do seu INVESTIMENTO.

Trata-se de um pacote legislativo que procura responder a uma exigência da estratégia de capitalização das empresas, assumida como estrutural para o desenvolvimento da Economia e a criação de Emprego.

São cinco os eixos estratégicos deste Programa: 
1. Simplificação administrativa;
2. Reestruturação empresarial;
3. Financiamento;
4. Fiscalidade;
5. Mercado de capitais.

Objetivo da sessão: fornecer aos empresários as informações sobre as medidas já aprovadas (e em vias de aprovação). Entre as principais medidas já aprovadas constam:
• Incentivos fiscais para o reforço dos capitais próprios das empresas;
• Medidas que promovem maior eficiência na gestão de tesouraria;
• Linhas de crédito para as empresas, com garantia pública;
• Melhoria de medidas de reforço do investimento empresarial;
• Mecanismos de apoio à reestruturação empresarial;
• Incentivos e apoio à renovação da gestão nas empresas em reestruturação;
• Um Programa de capacitação das empresas para o mercado de capitais.
 
O Programa Capitalizar tem por objetivo a capitalização das pequenas e médias empresas, a promoção de estruturas financeiras nas empresas mais equilibradas, a redução dos passivos das empresas economicamente viáveis, bem como a melhoria das condições de acesso ao financiamento por parte das micro e das PME.

Apresentação do Programa | José António Barros – Presidente da Estrutura de Missão para a Capitalização das Empresas                                                         
                                            
Encerramento | Ana Mendes Godinho – Secretária de Estado do Turismo

É IMPORTANTE QUE OS COLEGAS EMPRESÁRIOS CONHEÇAM ESTAS MEDIDAS!
 
Capitalizar                                                                                               República Portuguesa

 


 

SEMINÁRIO

"ARRENDAMENTO DE CURTA DURAÇÃO - O REGIME DOS ALOJAMENTOS LOCAIS"

 Alojamento

LOCAL: AUDITÓRIO DO NERA

DIA: 19 DE JULHO DE 2017 - HORÁRIO: 14H00 - 18H00

A dinâmica do mercado ao nível do setor do turismo apresenta um crescimento exponencial nos últimos anos, permitindo a proliferação de iniciativas várias como é o caso de sucesso do alojamento local.

Considerando, igualmente, um fator dinamizador do mercado imobiliário no território nacional, importa analisar as suas especificidades, bem como as mais recentes alterações legislativas ao seu regime jurídico e respetivo impacto fiscal.

Neste sentido, o NERA em parceria com a Eduardo Serra Jorge & Maria José Garcia - Sociedade de Advogados, RL irá promover a realização de um Seminário subordinado ao tema “Arrendamento de Curta Duração – O Regime dos Alojamentos Locais”, a realizar no Auditório do NERA, no próximo dia 19 de julho, entre as 14H00 e as 18H00.

Este Seminário visa clarificar o procedimento administrativo de licenciamento desta tipologia de estabelecimentos de alojamento temporário a turistas, bem como todas as suas problemáticas

Destinado a todos os Empresários, Técnicos Municipais, Técnicos de Agências Imobiliárias, Gestores, bem como a particulares na generalidade, que se enquadrem no tema do seminário e demais interessados.

Poderá ainda consultar o referido Programa e efetuar a sua inscrição acedendo ao sítio do NERA em www.nera.pt.

 

 


 

 

NERA ELEGE NOVOS ÓRGÃOS SOCIAIS

NERA

Reunidos em Assembleia Geral no passado dia 22 de junho, os Associados do NERA – Associação Empresarial da Região do Algarve elegeram os novos Órgãos Sociais que irão liderar os destinos da Associação no triénio 2017-2020.

Para a Presidência da Direção do NERA, os associados elegeram o empresário Vítor Neto para um novo mandato.

Como Presidente da Mesa da Assembleia Geral mantem-se Eurico Correia, em representação da Empresa Marinas do Barlavento – Empreendimentos Turísticos, S. A.

No que diz respeito ao Conselho Fiscal, o mesmo será liderado por Manuel Caetano, em representação da AIDA – Associação Interprofissional para o Desenvolvimento da Produção e Valorização da Alfarroba.

Para além dos representantes das empresas que integravam os anteriores Órgãos Sociais, que se mantêm na composição ora eleita, destaca-se a entrada de novos elementos, nomeadamente: Alberto Mota Borges, em representação da ANA – Aeroportos de Portugal, S. A. e João Amaro, em representação da Good Moments – Indústria Criativa de Cultura e Alimentação Tradicional, Lda., para a Direcção; Luís Correia da Silva, em representação Dom Pedro Golfe, S. A., para a Assembleia Geral; e Fernando Cabrita, em representação da Rus – Propriedades Rústicas e Urbanas, Lda., para o Conselho Fiscal.

A lista completa dos novos Órgãos Sociais do NERA eleitos para o triénio 2017-2020 encontra-se disponível no site da Associação (www.nera.pt).

 


 

PROJETO INOVA ALGARVE 2020

NERA E AMAL CONCLUEM PÉRIPLO DE 16 AÇÕES DE SENSIBILIZAÇÃO

Inova Algarve 2020

PROGRAMA DE ESTÍMULO PARA O DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES DE INOVAÇÃO NAS PME NO ALGARVE

O NERA – Associação Empresarial da Região do Algarve e a AMAL – Comunidade Intermunicipal do Algarve, com o apoio dos 16 Municípios do Algarve, concluíram no passado dia 28 de junho, em Loulé, as 16 Ações de Sensibilização para a Inovação e de Apresentação do Projeto INOVA ALGARVE 2020, previstas no âmbito do Projeto INOVA ALGARVE 2020.

Estas Ações de Sensibilização para a Inovação e de Apresentação do Projeto INOVA ALGARVE 2020 contaram com mais de 300 participantes, entre empresários, representantes de empresas e de entidades regionais.

Para além dos representantes do NERA e da AMAL, participaram em todas as ações realizadas representantes do Executivo dos Municípios envolvidos, cujo apoio e colaboração, foram determinantes para o sucesso dos resultados alcançados.

Para além da apresentação dos objetivos e atividades previstas no âmbito do Projeto INOVA ALGARVE 2020, houve ainda a oportunidade de apresentar a todos os participantes as principais linhas que caracterizam a Estratégia Região de Investigação e Inovação para a Especialização Inteligente (RIS 3 Algarve) definida para ao período de 2014-2020.

Complementarmente, assistiu-se também nestas sessões ao testemunho de vários empresários da região que, beneficiando dos apoios previstos no âmbito do Programa Operacional Algarve 21, implementaram com sucesso projetos de investimento, onde a temática da inovação esteve muito presente.  

Para dar seguimento aos objetivos do Projeto, todas as empresas presentes nestas ações de sensibilização foram convidadas a preencher um levantamento de necessidades de inovação, bem como o BIALG – Barómetro para a Inovação no Algarve, que é uma ferramenta online disponibilizada no site deste projeto (www.inova-algarve.pt) que lhes permite desenvolver um autodiagnóstico que as ajudará a avaliar o respetivo potencial de inovação.

Com base nos resultados das informações recolhidas, prevê-se identificar empresas com potencial de inovação, estimulando-as a implementar atividades inovadoras, em linha com os Domínios de Especialização da RIS3 Algarve.

Por outro lado, pretende-se ainda capacitar e apoiar as empresas interessadas no desenvolvimento de projetos inovadores, com vista à apresentação de candidaturas ao Programa Operacional CRESC ALGARVE 2020 | Portugal 2020.

O Projeto INOVA ALGARVE 2020 tem como entidades promotoras o NERA – Associação Empresarial da Região do Algarve e a AMAL – Comunidade Intermunicipal do Algarve e resulta de uma candidatura apresentada ao Sistema de Apoio a Ações Coletivas – Qualificação, no âmbito do PO CRESC ALGARVE 2020 | Portugal 2020.

 


 

PLANO DE FORMAÇÃO NERA 2017

Plano de Formação 2016

O NERA – Associação Empresarial da Região do Algarve, na qualidade de entidade formadora certificada pela DGERT e pela APCER (ISO 9001), tem procurado, desde sempre, disponibilizar serviços de formação adaptados às necessidades de formação dos quadros das Empresas da Região do Algarve, contribuindo desta forma para o respetivo desenvolvimento e aumento da competitividade.

Com o propósito de continuar a dotar os recursos humanos da região das competências técnicas que lhes permitam um melhor desempenho profissional, aumentando a respetiva produtividade e consequentemente a competitividade das organizações onde estão inseridos, prosseguiremos neste 2º trimestre de 2017 a execução do nosso Plano de Formação, apresentando algumas novidades.

Assim, no próximo mês de julho contamos promover as seguintes ações de formação:

- Ergonomia e Movimentação Manual de Cargas;
- Como Criar um Website;
- Ergonomia e Higiene Postural;
- Operadores de Máquinas de Elevação e de Transporte (Empilhadores);
- Organização do Trabalho com Microsoft Outlook;
- Como ter Sucesso no Linkedin;
- Língua Inglesa Aplicada aos Negócios.

Poderá consultar o referido Plano de Formação e efetuar a sua inscrição nos vários cursos, acedendo à opção “Formação Profissional”, no sítio do NERA www.nera.pt ou então poderá contactar o Gabinete de Formação do NERA através dos seguintes contactos:

Tel.: 289 415 151
E-mail: gfo@nera.pt

 


 

INCENTIVOS AO EMPREGO

NOVO REGIME DE DISPENSA DE CONTRIBUIÇÕES

A partir de 1 de agosto entra em vigor o novo regime de dispensa ou de isenção de pagamento de contribuições à Segurança Social, relativamente à contratação de jovens à procura do primeiro emprego e de desempregados de longa duração e de muito longa duração.

Assim, o Governo estabeleceu a atribuição de uma dispensa parcial do pagamento das contribuições para a Segurança Social (50%) para os jovens à procura do primeiro emprego e para os desempregados de longa duração, por períodos de cinco e três anos, respetivamente, bem como uma isenção total do pagamento das contribuições para os desempregados de muito longa duração, por um período de três anos.

Trabalhadores incluídos
Os incentivos previstos no Decreto-Lei nº 72/2017, de 21.6 destinam-se ao apoio à contratação de trabalhadores integrados num dos seguintes grupos:

• jovens à procura do primeiro emprego, sendo como tal consideradas as pessoas com idade até aos 30 anos, inclusive, que nunca tenham prestado a atividade ao abrigo de contrato de trabalho sem termo. Importa notar que a idade do trabalhador é aferida na data de celebração do contrato de trabalho, e que não releva para a qualificação de jovem à procura do primeiro emprego a anterior celebração de contrato de trabalho a termo ou o exercício de trabalho independente;

• desempregados de longa duração, sendo como tal consideradas as pessoas que se encontrem inscritas no Instituto do Emprego e Formação Profissional, há 12 meses ou mais;

• desempregados de muito longa duração, sendo como tal consideradas as pessoas com 45 anos de idade ou mais e que se encontrem inscritas no IEFP há 25 meses ou mais. Relativamente a desempregados de longa duração e de muito longa duração, deve ter-se presente que estas qualificações não são prejudicadas pela celebração de contratos de trabalho a termo ou pelo exercício de trabalho independente, por período inferior a seis meses, cuja duração conjunta não ultrapasse os 12 meses.



 

IES

PRAZO DE ENTREGA PRORROGADO ATÉ 22 DE JULHO

O prazo de entrega da declaração de Informação Empresarial Simplificada (IES) foi prorrogado até ao dia 22 de julho, de acordo com o Despacho N.º 212/2017-XXI de 31 de maio, do Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais.

O prazo de entrega terminava a 15 de julho, todavia e de acordo com o despacho supracitado na base de adiamento estiveram razões como dificuldades na adaptação à aplicação que determina o envio da IES.

 


 

ARRENDAMENTO

PERÍODO TRANSITÓRIO DE ATUALIZAÇÃO DAS RENDAS ANTIGAS JÁ ESTÁ EM VIGOR

No passado dia 14 de junho foram aprovadas as alterações em matéria de arrendamento, as quais constam da Lei 43/2017, que se encontra em vigor desde o dia 15.6.2017. Esta Lei introduz alterações ao Código Civil, ao NRAU e ao regime jurídico das obras em prédios arrendados. Uma das principais alterações prende-se com a prorrogação do período transitório de atualização das rendas. Assim, o período transitório para a atualização de rendas antigas (contratos anteriores a 1990), que devia terminar em 2017 é prorrogado até ao ano de 2022, no caso de idosos e deficientes, e até ao ano de 2020 no caso de famílias com rendimento anual bruto (RABC) inferior a 38.990 euros, independentemente da idade. O NRAU estabeleceu que as rendas anteriores a 1990 seriam atualizadas, permitindo aumentar as rendas mais antigas através de um processo de negociação entre senhorio e inquilino ou com base em 1/15 do valor patrimonial fiscal do imóvel. De acordo as alterações ora aprovadas, o senhorio só pode promover a transição do contrato para o NRAU findo o prazo de oito anos.


 


 

CONTABILIDADE

SAF-T. MUDANÇAS A PARTIR DO DIA 1 DE JULHO

No dia 1 de julho de 2017 entra em vigor uma nova versão do SAFT 1.04_01, que incorpora alterações e novidades significativas para todos os sujeitos passivos de IRC. O SAF-T é um ficheiro de auditoria tributária para exportação de dados. Através deste processo de exportação, as empresas garantem o cumprimento dos requisitos legais, fornecendo informação aos serviços de inspeção tributária, impulsionando a utilização de tecnologias céleres, simplificando procedimentos e evitando a necessidade de especialização dos inspetores tributários nos diversos sistemas informáticos. A nova versão do SAFT-T, contempla uma série de alterações e novidades para todos os sujeitos passivos de IRC que exerçam, a título principal, uma atividade comercial, industrial ou agrícola, com sede ou estabelecimento estável em território português.

O que muda? Todos os sujeitos passivos de IRC que exerçam, a título principal, uma atividade comercial, industrial ou agrícola, com sede ou estabelecimento estável em território português devem dispor de capacidade de exportação de ficheiros de ficheiros SAF-T nos termos e formatos definidos na Portaria n.º 302/2016 de 2.12 (Bol do Contribuinte, 2016, pág. 796). Um processo que até então estava apenas prevista para quem organizava a sua contabilidade com recurso a meios informáticos. Assim, a adoção de programas informáticos para organização das contabilidades passa a ser inequívoca, já que só assim se poderá cumprir com a exportação do ficheiro SAF–T. Refira-se que a alteração surge na sequência do nº 8 do Código do IRC operada pela LOE para 2017 – Lei nº 42/2016, de 28.12 - que veio obrigar as empresas a apresentar os seus planos de contas em suporte informático de acordo com o normativo contabilístico utilizado pelos diferentes sujeitos passivos. Refira-se que o plano de contas e os movimentos contabilísticos para o exercício de 2017 das empresas já deverão fazer referência às taxonomias constantes dos Anexos II e III da portaria supracitada de acordo com o normativo contabilístico adotado pela empresa. A submissão incorreta de informação terá, além das penalizações previstas na lei, incoerências no pré-preenchimento automático do Anexo A e/ou I do IES.


 


 

IRS

ENTREGA DA DECLARAÇÃO DE RENDIMENTOS MODELO 3 FORA DO PRAZO

Entregar a declaração modelo 3 do IRS fora do prazo ou com erros continua a dar origem a coimas pesadas – previstas no artigo 116.º (e seguintes) do Regime Geral das Infrações Tributárias (RGIT), as quais diferem de acordo com o atraso verificado após a data limite de entrega da declaração de rendimentos.

A propósito da data limite de entrega da declaração de rendimentos relembramos que este ano existiu um único prazo de entrega, independentemente do topo de rendimentos, o qual decorreu entre 1 de abril e 31 de maio.

Entregar o IRS fora do prazo: consequências
Estabelece o artigo 116.º do RGIT que: “a falta de declarações que para efeitos fiscais devem ser apresentadas a fim de que a administração tributária especificamente determine, avalie ou comprove a matéria coletável, bem como a respetiva prestação fora do prazo legal, é punível com coima de €150 a €3750“.
Para colmatar eventuais erros ou omissões que a declaração de rendimentos possa ter, o contribuinte deverá entregar declaração de substituição. A este respeito, estas são as coimas que lhe podem ser imputadas:

Coimas por entrega até 30 dias depois do prazo
Segundo a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), terá de proceder à entrega de uma declaração de substituição e pagar uma coima mínima de €25;

Coimas por entrega com mais de 30 dias depois do prazo
Se o prazo excedido for superior a 30 dias, mas entregar a declaração de substituição, a coima poderá ser superior a €37,5. Todavia, se a AT já tiver iniciado uma ação de inspeção, a multa será, no mínimo, de 112,5 euros (75% do montante mínimo).

Casos de omissões ou inexatidões relativas à situação tributária
Desde que não configurem um ato de fraude fiscal nem contraordenação, são puníveis com multas compreendidas entre os €375 e os €22 500 (artigo 119.º do RGIT). Se depois da correção não tiver lugar o pagamento de imposto adicional, os limites são reduzidos para um quarto.




 

CASA TRABALHO. FÉRIAS DO TRABALHADOR

PERÍODO DE GOZO E EXERCÍCIO DE OUTRA ATIVIDADE

O empregador tem a possibilidade de proceder à alteração (antecipando ou adiando) do período de férias já marcado ou interromper as férias já iniciadas por exigências forçosas do funcionamento da empresa, tendo o trabalhador direito a ser indemnizado pelos prejuízos sofridos por deixar de gozar as férias no período marcado.

Refira-se o caso de o trabalhador ter já pago uma viagem com estadia marcada para aquele período de férias. De qualquer modo, a interrupção das férias deve permitir o gozo seguido de metade do período a que o trabalhador tem direito. Em caso de cessação do contrato de trabalho sujeita a aviso prévio, o empregador pode alterar a marcação das férias para o momento anterior à data da cessação. Por seu lado, estabelece o Código do Trabalho que o trabalhador não pode exercer durante as férias qualquer outra atividade remunerada, salvo quando já a exerça cumulativamente ou seja autorizado pelo empregador. Assim, no caso de esta regra ser violada, e sem prejuízo da eventual responsabilidade disciplinar do trabalhador, o empregador terá direito a reaver a retribuição correspondente às férias e o respetivo subsídio, metade dos quais reverte para o Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social. Para o efeito, a entidade empregadora pode efetuar descontos na retribuição, até ao limite de um sexto, em relação a cada um dos períodos de remuneração posteriores.

 


 

ESTÁGIOS PROFISSIONAIS

ALTERAÇÃO DO CALENDÁRIO DE CANDIDATURAS

IEFP

Em 2017, a medida Estágios Profissionais passa a ter dois períodos para a apresentação de candidaturas.
Os períodos de candidatura do ano de 2017, no âmbito da medida Estágios Profissionais, tinham sido anunciados como tendo as seguintes datas indicativas: primeiro período, com abertura a 16 de maio e encerramento a 16 de junho; segundo período com abertura em agosto e um terceiro período com abertura em dezembro.

Considerando que através de deliberação de 30 de maio, o Conselho Diretivo do IEFP determinou a prorrogação do primeiro período de candidaturas até às 18 horas do dia 31 de julho de 2017, considerou-se desejável efetuar um reajustamento do calendário inicialmente previsto.

Nestes termos, o Conselho Diretivo do IEFP deliberou que o calendário de candidaturas em 2017 passa a ter apenas dois períodos, composto pelo que está a decorrer e por um segundo período de candidaturas que irá decorrer entre as 9h00 do dia 15 de novembro até às 18h00 do dia 31 de dezembro de 2017.

Assim, as entidades que pretendam apresentar a candidatura destinadas a estágios profissionais com início ainda no ano em curso, devem formalizar esse procedimento no âmbito do processo de candidatura que está a decorrer.

A medida Estágios Profissionais visa apoiar a realização de estágios profissionais por desempregados inscritos no IEFP, contribuindo, nomeadamente, para apoiar a inserção de jovens no mercado de trabalho e a reconversão profissional de desempregados através de uma experiência prática em contexto de trabalho.

A candidatura à medida é efetuada pela entidade, no portal NetEmprego, na área pessoal de cada entidade, devendo ser efetuado o registo prévio, caso ainda não esteja registada.

Durante o período de candidatura será também possível formalizar o pedido de Prémio ao Emprego, apoiando a celebração de contratos de trabalho sem termo, com ex-estagiários.

Antes de se candidatar, consulte o regulamento e verifique as regras de acesso a esta medida.

Mais informações e esclarecimentos podem ser obtidos através do Centro de Contacto, disponível todos os dias úteis das 8h00 às 20h00, telefone: 300 010 001.

 


 
Divulgação:

Para que possa lançar, expandir ou rentabilizar a atividade da sua empresa, o NERA , para além de todos osserviços e apoios que tem vindo a prestar aos empresários da Região, ou aos que aqui se pretendem instalar,dispõe de um serviço de aluguer/cessão de uso de salas e espaços variados, situadas no seu Centro Empresarial de Negócios.

As salas/ espaços poderão ser arrendadas por períodos variáveis, desde por horas ou dias a mensal, anual ou plurianualmente.

O uso de qualquer destes espaços traz consigo vantagens adicionais, como:
- inserção num espaço comum de múltiplas utilizações e não isolado;
- uso imediato de energia e água;
- possibilidade de acesso a serviços diversificados, como: fotocópias, fax, mail, gestão de correspondência ou contactos, etc.;
- integração no núcleo da NERA, onde encontra disponibilidade do uso ocasional de espaços e serviços, entre os quais salas para reuniões, apresentações de produtos ou formação, salas de congressos,organização de eventos, secretariado, aluguer de mobiliário, etc.;

Também disponibilizamos serviços de sediação de empresas e gestão de contactos.

 

O NERA em parceria com a PLMJ – Sociedade de Advogados, R.L., irá realizar no dia 30 de setembro, pelas 14 horas, no Auditório do NERA, o seminário subordinado ao tema “Alojamento Local”, tendo como principal objetivo o esclarecimento dos princípios e das regras aplicáveis ao alojamento local.

 

O Programa deste seminário, bem como a respetiva Ficha de Inscrição e as informações técnicas necessárias irão encontrar-se, brevemente, disponíveis no site do NERA em www.nera.pt.

 

Login Form



Popup

{simplepopup link=spuImage2 gallery=gallery1 hidden=true}PopUp Image{/simplepopup}