Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2010 JoomlaWorks, a business unit of Nuevvo Webware Ltd.

Criar PDF Recomendar Imprimir

 

nerainforma n.º 70, fevereiro 2016

Nº Boletim 70 Data Fevereiro 2016
Ficheiro(s):

O PAÍS NÃO PODE CONTINUAR À ESPERA

Presidente Site

Estamos em campanha eleitoral praticamente desde a primavera/verão do ano passado. E parece que vamos continuar.
Primeiro, com a apresentação de propostas pré-eleitorais, depois com os programas eleitorais propriamente ditos, a que se seguiu a campanha eleitoral com os resultados que são conhecidos. Seguiu-se a dura batalha política para a formação do novo governo, primeiro, com a indigitação de Passos Coelho para PM, depois com a formação do governo dirigido por António Costa, apoiado pelo PCP, Verdes e Bloco de Esquerda. Neste momento decorre o confronto político em torno do Orçamento para 2016, que se parece cada vez mais com uma verdadeira batalha pré-eleitoral, com ataques e críticas violentas de parte a parte, sendo patentes nas argumentações as preocupações pelo «voto».
Na verdade, estamos há quase um ano a passar ao lado dos verdadeiros problemas do país. Sem os aprofundar, sem um diagnóstico credível e sem traçar uma linha de orientação, um rumo para a economia nacional, capaz de relançar o crescimento e o emprego, criando condições para melhorar as finanças públicas. E para dar confiança aos portugueses.

Nós empresários, que investimos, pagamos impostos e criamos emprego, temos razões para estar preocupados e autoridade para apelar a todas as forças políticas para uma mudança de atitude.
Faça-se um diagnóstico sério - não o que dá jeito – apresentem-se e discutam-se medidas, crie-se um consenso, trabalhe-se em conjunto para enfrentar os problemas do país.

Parece que nem todos estão preocupados com o destino de Portugal. Veja-se o que vai pelo Mundo e o que os outros fazem.
Os fatores de incerteza económica e financeira a nível internacional estão à vista de todos.
Os problemas políticos internacionais – conflitos locais e regionais, refugiados na Europa, instabilidade política – são crescentes.
A própria União Europeia pôs a nu claramente há dias, para quem não tinha ainda percebido, a sua verdadeira essência no caso da continuidade ou não na UE de um país rico – o Reino Unido – demonstrando sem qualquer pudor, com as cedências que fez, que os «28» não são, afinal, todos iguais!

Aliás, o Primeiro-Ministro Cameron sintetizou bem a situação ao afirmar sem-vergonha que das «negociações» com a UE o Reino Unido obteve «o melhor dos dois mundos»! Isto é, só cumpre o que lhe interessar. Quantos dos outros «27» poderão dizer o mesmo? Mas fiquem descansados: as forças económicas e financeiras dominantes na UE e no Reino Unido, com o apoio dos EUA, «aceitam» a solução…!

Portanto Portugal, com a sua limitada dimensão e fragilidade económica e financeira, com um peso político «diferente» do Reino Unido, tendo interesse mesmo assim em fazer parte da UE, tem de ter plena consciência da necessidade de reforçar minimamente a sua posição, para poder afirmar a sua dignidade e ter voz para lutar pelos seus interesses. Sem ter de ser subserviente. Ou receber favores de «amigos».

O nosso Desafio
Está à vista. Só há um caminho: Portugal só se consegue defender e afirmar se for um país organizado e consistente, mas para isso tem de conseguir reforçar a sua capacidade económica, a sua estrutura produtiva, aumentando a exportações de Bens e Serviços e diminuindo importações, diminuindo a dívida, consolidando as finanças. O que lhe permitirá uma política social justa e equilibrada.
Só assim Portugal ganhará credibilidade e respeito e terá VOZ para defender os interesses nacionais.

É uma missão difícil. Alguns pensarão até que é impossível. Outros não querem mesmo.
Mas penso que o risco que corremos de situações difíceis no nosso país o exige. E que deveríamos discutir caminhos seguros.
Com a Democracia e o empenho de todos podemos conseguir.


 

Vítor Neto

Presidente da Direção do NERA

 


 

EXPO BIOMASSA ALGARVE 

  BIOMASSA FLORESTAL PARA AQUECIMENTO DE EFIFÍCIOS, PISCINAS E EQUIPAMENTOS

 

Img 2 

LOCAL: NERA - DIAS: 11 E 12 DE MARÇO DE 2016

HORÁRIO: 14H30 - 18H30 / 10H00 - 17H00


O NERA apoia a realização da I EXPO – Biomassa Algarve – Biomassa Florestal para Aquecimento de Edifícios, Piscinas e Equipamentos que terá lugar nas suas instalações, no dia 11 de março, das 14h30 às 18h30 e no dia 12 de março, das 10h00 às 17h00.

Durante os dois dias, em que decorrerá esta iniciativa, estará disponível uma mostra de equipamentos, distribuidores e instaladores de caldeiras domésticas e industriais e outros equipamentos a biomassa. A Expo - Biomassa Algarve é destinada a potenciais consumidores, particulares, empreendedores hoteleiros, edifícios municipais e demais equipamentos sociais e turísticos, bem como a investigadores, associações para a energia e produtores florestais.

No dia 11 de março decorrerá, em simultâneo com a mostra acima referida, um seminário onde serão abordadas as potencialidades, vantagens, casos de sucesso e instrumentos de  financiamento, bem como os incentivos ao investimento nesta área, conforme programa que se encontra abaixo.

O aproveitamento da biomassa florestal pode trazer mais-valias para a região do Algarve, aumentando a sustentabilidade dos sistemas florestais, minimizando riscos de incêndio e compensando os produtores florestais pelos serviços ambientais prestados à comunidade.

Mais se informa que a participação nesta iniciativa (Mostra e Seminário) será gratuita e aberta ao público em geral.

Programa_Seminário.pdf

 


 

 DADOS DO INE. TAXA DE DESEMPREGO FIXOU-SE EM 12,4% EM 2015


Segundo informação recentemente divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a taxa de desemprego no 4º trimestre de 2015 foi de 12,2%. Este valor é superior em 0,3% ao do trimestre anterior e inferior em 1,3% ao do trimestre homólogo de 2014. A população desempregada, estimada em cerca de 633 mil pessoas, registou um aumento trimestral de 2,4% (mais 15,1 mil pessoas) e uma diminuição homóloga de 9,2% (menos 64,4 mil pessoas).

A população empregada, estimada em 4 milhões e 561 mil pessoas, verificou um decréscimo trimestral de 0,3% (menos 13,8 mil pessoas) e um acréscimo homólogo de 1,6% (mais 69,9 mil pessoas).

A taxa de atividade da população em idade ativa situou-se em 58,6%, valor idêntico ao observado no trimestre anterior e superior em 0,1% ao do trimestre homólogo. Em termos de média anual, a taxa de desemprego fixou-se em 12,4% em 2015, o que representa uma diminuição de 1,5% em relação a 2014.

A propósito, o Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social afirmou que “a taxa de desemprego continua a ser um problema muito significativo”. Vieira da Silva acrescentou que a redução da taxa de desemprego em termos homólogos “é um fator positivo”, mas continuará “a ser um problema muito significativo enquanto essa diminuição da taxa de desemprego não for acompanhada pela criação do emprego correspondente”. A taxa de desemprego pode reduzir-se por saída de pessoas do mercado de trabalho, nomeadamente, devido a emigração ou passagem a inatividade ao fim de alguns anos sem emprego.

O mesmo Ministro realçou que é preciso acompanhar a descida da taxa de desemprego com criação de emprego e, se possível, emprego de qualidade: “isso infelizmente ainda não está a acontecer com a rapidez e o volume que todos ambicionamos”, referiu.


 

PUBLICITAÇÃO DO APOIO CONCEDIDO PELOS FUNDOS DA UE

 

CRESC-2020

A divulgação e a publicitação do apoio concedido pelos Fundos Europeus e do CRESC ALGARVE 2020 – o Programa Operacional do Algarve, constituem uma responsabilidade das entidades beneficiárias consagrada na legislação comunitária e nacional. Tal obrigação tem como principal objetivo dar a conhecer ao cidadão de que forma os recursos financeiros da União são investidos e nos seus respetivos impactos e resultados.

De acordo com o Decreto-Lei n.º 159/2014, de 27 de outubro, o incumprimento das normas relativas à informação e publicitação do apoio concedido pelos fundos da União Europeia, constitui fundamento susceptível de determinar a redução do apoio à operação, sendo a redução determinada em função da gravidade do incumprimento.

Na página “Regras de Publicidade” do site do CRESC ALGARVE 2020 (www.algarve2020.pt) estão disponíveis documentos essenciais sobre os procedimentos a seguir, nomeadamente o Manual de Identidade, os logotipos para download, extratos da legislação e o Plano de Comunicação do PO.

 


 

CCDR ALGARVE PROMOVE ENCONTRO EMPRESARIAL NA ITB 2016 - FEIRA DE TURISMO DE BERLIM

ITB berlim

 

A CCDR Algarve, através da Rede Enterprise Europe Network, é a co-organizadora do Encontro Empresarial no recinto da ITB 2016 – Feira de Turismo de Berlim (Alemanha), que irá decorrer entre os próximos dias 9 a 11 de março (www.b2match.eu/itb2016).

Até 29 de Fevereiro encontra-se aberto um período de registo e criação de um perfil na plataforma deste encontro empresarial para entidades e empresas, das mais diversas áreas de atividade e nichos de mercado do setor do turismo, que procurem parceiros comerciais, tecnológicos, financeiros ou outros (https://www.b2match.eu/itb2016/registration).

Os interessados têm a possibilidade de participar em três formatos distintos, todos eles sem custos de inscrição: Encontro empresarial/ reuniões bilaterais de 20 minutos com os parceiros selecionados; Visitas temáticas guiadas que irão permitir conhecer potenciais parceiros de negócio em Berlim e Brandeburgo; e Workshop sobre financiamento europeu “EU-Funding Opportunities for the Tourism Sector”.


Na edição de 2015, do mesmo brokerage, foram celebrados vários acordos de cooperação, citando a título exemplo o contrato celebrado entre uma empresa regional e um operador turístico húngaro para a organização dum circuito de cicloturismo no sul do país.

Este Encontro Empresarial representa uma oportunidade facilitadora do posicionamento das empresas algarvias no mercado internacional, no qual a Enterprise Europe Network-CCDR Algarve se disponibiliza para apoiar as empresas interessadas desde a fase de inscrição até à concretização da sua participação.


 

PORTUGAL VENTURES - 14ª CALL FOR ENTREPRENEURSHIP: CANDIDATURAS ATÉ 3 DE MARÇO

 

Call For Entrepreneuship

 

As candidaturas para a 14ª Call for Entrepreneurship da Portugal Ventures estão abertas até 3 de março.

São elegíveis para investimento projetos das seguintes áreas: Inovação Tecnológica para o Turismo (serviços inovadores e produtos complementares à oferta tradicional do turismo nacional), Tecnologias de Informação e de Comunicação, Eletrónica & WEB, Ciências da Vida, Recursos Endógenos, Nanotecnologia e Materiais.

Os projetos selecionados pela Portugal Ventures beneficiarão de investimento e de apoio e orientação de uma das entidades da Rede de Parceiros do Programa de Ignição (Ignition Partners Network), potenciando a aptidão dos mesmos para o investimento de capital de risco.

A Call For Entrepreneurship é o ponto de entrada para o Programa de Ignição, uma iniciativa liderada pela Portugal Ventures e parte integrante do Programa +e+i (mais empreendedorismo, mais inovação), cujo objetivo é fortalecer o ecossistema Português de empreendedorismo de base tecnológica e, assim, contribuir para o desenvolvimento de uma economia mais moderna, competitiva e aberta para o mundo.

O Turismo de Portugal é um dos acionistas, a par com o IAPMEI - Agência para a Competitividade e Inovação e outras entidades, maioritariamente do setor da banca.

Mais informação e candidaturas consulte o link  http://www.portugalventures.pt/en/content/call-entrepreneurship-7



 

FATURA DA SORTE. AUDISDÃO LUGAR A CERTIFICADOS DO TESOURO POUPANÇA MAIS

 

No dia 18 de fevereiro o Conselho de Ministros aprovou a alteração do prémio a atribuir no sorteio “Fatura da Sorte”.

Assim, em vez dos automóveis a Autoridade Tributária vai passar a sortear Certificados do Tesouro Poupança Mais entre os contribuintes que pedem fatura com NIF, pese embora se mantenha o valor do prémio atual que ronda os 40 mil euros.

Com a substituição do prémio no sorteio da “Fatura da Sorte” pretende-se estimular o aforro das famílias e promover os produtos de poupança do Estado.

 


 

TRABALHAR NA UNIÃO EUROPEIA. CARTEIRA PROFISSIONAL EUROPEIA (CPE)

 

Desde o dia 18 de janeiro, os enfermeiros, fisioterapeutas, farmacêuticos, mediadores imobiliários e guias de montanha passaram a poder procurar e aceitar mais facilmente um emprego noutro Estado-membro da União Europeia. A Carteira Profissional Europeia (CPE) está disponível precisamente para estas cinco profissões.

A CPE consiste num certificado de reconhecimento de qualificações que passa a poder ser integralmente emitido por via eletrónica. Este procedimento digital é feito com base no Sistema de Informação do Mercado Interno (IMI) que permite aos profissionais comunicar num canal multilingue com as autoridades reguladoras competentes dentro de uma rede segura.

O CPE não substitui os procedimentos tradicionais de reconhecimento de qualificações, mas nesta primeira fase oferece uma opção vantajosa para estes profissionais que desejem trabalhar temporária ou permanentemente noutro país da União Europeia.

As regras de avaliação são as mesmas, mas o mecanismo de reconhecimento das qualificações passa a ser eletrónico, ao mesmo tempo o sistema prevê salvaguardas que previnem abusos: um mecanismo de alerta garante que os pacientes e os consumidores da UE são protegidos adequadamente.

Para já, este certificado eletrónico emitido pelo primeiro procedimento completamente online à escala da UE, apenas afeta estes profissionais, mas o objetivo é que venham a ser incluídos outros profissionais com maior mobilidade.

A mobilidade vai tirar partido do Sistema de Informação do Mercado Interno, onde a informação sobre cada profissional estará numa rede segura.

No seu país de origem, o candidato pode submeter o seu pedido e os seus dados. Os coordenadores nacionais vão avaliar esta informação, que pode ser traduzida para qualquer língua num outro destino. Nesse país, as informações serão validadas e autenticadas.

 

 



Divulgação:

Para que possa lançar, expandir ou rentabilizar a atividade da sua empresa, o NERA , para além de todos osserviços e apoios que tem vindo a prestar aos empresários da Região, ou aos que aqui se pretendem instalar,dispõe de um serviço de aluguer/cessão de uso de salas e espaços variados, situadas no seu Centro Empresarial de Negócios.
 

As salas/ espaços poderão ser arrendadas por períodos variáveis, desde por horas ou dias a mensal, anual ouplurianualmente.
 

O uso de qualquer destes espaços traz consigo vantagens adicionais, como:
- inserção num espaço comum de múltiplas utilizações e não isolado;
- uso imediato de energia e água;
- possibilidade de acesso a serviços diversificados, como: fotocópias, fax, mail, gestão de correspondência ou contactos, etc.;
- integração no núcleo da Expoalgarve / NERA, onde encontra disponibilidade do uso ocasional de espaços e serviços, entre os quais salas para reuniões, apresentações de produtos ou formação, salas de congressos,organização de eventos, secretariado, aluguer de mobiliário, etc.;
 

Também disponibilizamos serviços de sediação de empresas e gestão de contactos.

 

O NERA em parceria com a PLMJ – Sociedade de Advogados, R.L., irá realizar no dia 30 de setembro, pelas 14 horas, no Auditório do NERA, o seminário subordinado ao tema “Alojamento Local”, tendo como principal objetivo o esclarecimento dos princípios e das regras aplicáveis ao alojamento local.

 

O Programa deste seminário, bem como a respetiva Ficha de Inscrição e as informações técnicas necessárias irão encontrar-se, brevemente, disponíveis no site do NERA em www.nera.pt.

 

Login Form



Popup

{simplepopup link=spuImage2 gallery=gallery1 hidden=true}PopUp Image{/simplepopup}